Consultas online: a telemedicina chegou para ficar

129

As consultas online são hoje uma ínfima parte de outra tendência, mais vasta, que a generalização do uso da internet proporcionou: a E-Health.

Esta compreende ainda as aplicações mobile que registam dados dos pacientes e podem ser seguidos em tempo real pelos médicos e os sistemas de gestão de saúde, que permitem marcação de consultas online e a gestão de dados dos doentes.

A telemedicina começou por ser um processo entre profissionais de saúde, uma forma de partilhar informação clínica de pacientes, bem como pesquisas e imagens a longas distâncias e de forma rápida. Começou a perceber-se o seu potencial e o paciente foi então integrado neste processo.

Passou a ser, por um lado, uma forma de proporcionar acesso a cuidados de saúde a quem por razões geográficas não conseguia ter acesso a eles, nomeadamente em países em vias de desenvolvimento e, paralelamente, começou a explorar-se a sua vertente comercial nos países desenvolvido, como forma de poupar tempo, deslocações e listas de espera a paciente com recursos para ir a uma consulta ou urgência hospital.

Nos Estados Unidos este é um mercado em rápido crescimento. A American Medical Association refere mesmo que 70 por cento de todas as visitas ao médico poderiam ser dispensadas, podendo o assunto ser tratado por telefone. Os dados da associação mostram que mais de 36 milhões de americanos foram tratados por meio de teleconsultas.

A verdade é que milhões de pessoas que vão às urgências hospitalares ou a consultas médicas podem ter acesso aos cuidados necessários de forma muito mais rápida, conveniente e barata – e igualmente eficaz- através do telefone ou internet.

Em Portugal, este é um mercado que ainda pouco explorado e imaturo. Naturalmente, que é um processo utilizado, mas ainda muito “informalmente”. Por exemplo, os pediatras fornecem hoje com frequência os seus contatos de e-mail e telemóvel aos pais de recém-nascidos, de forma a que, no caso de dúvidas ou surgimento de algum sintoma, o assunto possa ser tratado dessas formas, poupando assim uma consulta que implica um custo, uma deslocação e muito mais tempo perdido entre ambas as partes, muitas vezes por causa de dois espirros que podem significar uma simples constipação  ou nem isso.

No entanto, as plataformas exclusivamente montadas para a realização de consultas e tratamento são uma realidade, mas na área da psicologia e do coaching, não tendo ainda chegado às especialidades médicas, como por exemplo, à psiquiatria ou cardiologia… Mas aguardem, porque não deve tardar!

você pode gostar também Mais do autor

Este site utiliza cookies para melhorar a navegação. De acordo com as leis europeias ao navegar neste site concorda com a utilização de cookies Mais informação

Este site utiliza cookies para melhorar a navegação. De acordo com as leis europeias ao navegar neste site concorda com a utilização de cookies

Close