Depressão Pós-Parto – Reconheça os sinais e evite-os.

Sintomas da depressão Pós-Parto, como reconhecer e como actuar.

Depressão Pós-Parto – Reconheça os sinais e evite-os.
Avaliar

A depressão pós-parto pode afetar algumas recém-mamãs. Se é o seu caso, damos-lhe algumas dicas para melhor lidar com a situação, enfrentando com otimismo a maravilha da maternidade.

Com ajuda da família, poderá ultrapassar esta fase e cuidar do seu bebé com toda a atenção, carinho e amor que necessita.

Tendo em conta todas alterações emocionais associadas ao período pós-parto é fácil de compreender que haja uma fase pós-parto em que o humor pode ser depressivo.

Esta é uma fase comum e normalmente breve, podendo, no entanto, dar origem a uma verdadeira depressão pós-parto, o que é mais raro, mas também muito mais grave, incapacitante e duradouro.

A depressão pós-parto envolve profunda tristeza, choro, irritabilidade, cansaço e abatimento.

É essencial que se ajude a mãe a ultrapassar a fase, para que esta seja de facto curta e sem consequências graves para mãe e filho, uma vez que pode ser um factor que dificulta o estabelecimento de um vínculo afetivo seguro entre mãe e filho, podendo interferir nas futuras relações interpessoais estabelecidas pela criança

Principais alterações provocadas pela depressão pós-parto:

– Alterações hormonais relacionadas com o fim do período de gravidez;

– Dificuldades e debilidade física que a mulher pode apresentar no parto e na sua recuperação;

– Perceção da fragilidade que a mulher pode ter em relação ao recém-nascido, em especial se o caso envolver problemas de saúde, fragilidade física ou diagnósticos médicos inesperados e irreversíveis;

– Alteração de rotinas quotidianas (e muito acrescidas) tendo impacto no seu sono, cuidados pessoais, alimentação e em tudo à sua volta;

– A própria novidade de ser mãe traz ansiedade em relação à sua capacidade de resposta e insegurança em relação ao quanto será competente e suficiente para um novo ser tão frágil.

Por outro lado, esta é uma fase em que, pela nova experiência de ser mãe, se revive a um nível muito profundo a experiência de ser filha, o que pode ter um impacto muito negativo se o relacionamento mais precoce com a sua mãe não tiver sido sentido como algo seguro, repleto de amor, carinho, conforto e confiança.

Mesmo a relação de casal pode ser repensada e se a mulher fizer uma avaliação negativa do que tem sido a vida conjugal, se houver uma quebra nas expetativas iniciais, se a relação for sentida como insatisfatória e frustrante, temos mais um fator potenciador de depressão pós-parto.

Contudo, pode haver um afastamento do convívio social e da actividade profissional, implicando perdas afetivas, mas também de decréscimo do seu investimento profissional e da sua realização em relação à carreira.

Principais sintomas de depressão pós-parto

Na depressão pós-parto, os sintomas podem incluir um afastamento do bebé, um sintoma de não querer saber dele, de incapacidade de tomar conta dele ou de cuidar, um pânico exagerado acerca do que possa acontecer ao bebé e outros sintomas tal como alguns dos acima descritos.

É essencial então, facilitar o período pós-parto para que a nova mãe passe esta experiência da melhor forma possível, e sem correr o risco de comprometer a relação com o bebé.

O pai e a família próxima deverão ser capazes de aceitar as alterações emocionais da mãe, confortá-la sem dramatizar nem criticar, reforçar as suas competências como mãe, ajudar no cumprimento das tarefas quotidianas, assim como nos cuidados com o bebé, sempre que necessite, mas tendo o cuidado de não a substituir nem interferir na relação estabelecida entre os dois.

Cuide de si

A própria mãe deverá permitir a si mesma momentos de bem estar, nem que seja um banho com mais tempo quando deita o bebé e o pai está presente para o atender se acordar, uma refeição com o seu prato preferido, um livro que queria ler há muito, um café com uma amiga com quem possa conversar, etc..

É importante que não se descuide nos seus cuidados de higiene, beleza e saúde, assim como com o exercício físico.

Estes cuidados não devem ser fonte de culpa, devendo ser entendidos como contributos importantes para a sua recuperação e como tal para o desenvolvimento da sua relação com a criança e bem-estar dos dois.

É também fundamental permitir à nova mãe que partilhe a sua insegurança, as suas dúvidas e emoções, para que não se sinta só.

Recomendamos que leia também:

Depressão pós-parto, período psicológico muito frágil

Recém-Mamã: um guia de sobrevivência para o 1º mês

Sintomas desconfortáveis do pós parto

 

A depressão pós-parto envolve profunda tristeza, choro, irritabilidade, cansaço e abatimento.

É importante que não se descuide nos seus cuidados de higiene, beleza e saúde, assim como com o exercício físico. Pode haver um afastamento do convívio social e da atividade profissional, implicando perdas afetivas, mas também de decréscimo do seu investimento profissional e da sua realização em relação à carreira

É fundamental permitir à nova mãe que partilhe a sua insegurança, as suas dúvidas e emoções, para que não se sinta só.

você pode gostar também Mais do autor

Comments are closed.

Este site utiliza cookies para melhorar a navegação. De acordo com as leis europeias ao navegar neste site concorda com a utilização de cookies Mais informação

Este site utiliza cookies para melhorar a navegação. De acordo com as leis europeias ao navegar neste site concorda com a utilização de cookies

Close