Ingurgitação mamária – Tudo o que deve saber sobre o problema

Ingurgitação mamária – Tudo o que deve saber sobre o problema
Avaliar

Pode surgir nas primeiras horas, ou manter-se, se não forem tomadas medidas adequadas

A ingurgitação mamária pode acontecer durante as primeiras horas após a subida do leite, quando a mãe por motivos de saúde não pode amamentar o bebé. Surge também se a amamentação não se processa de modo correcto e o bebé não consegue esvaziar o peito.

A ingurgitação pode afetar apenas a areola, ou a mama – ingurgitação periférica – ou o corpo da mama e a areola.

Assim, podemos dizer que a ingurgitação se caracteriza como:

Ingurgitação areolar: Nos casos em que a areola incha é impossível que o bebé mame correctamente pois tem dificuldade em pegar o peito.

Quando o bebé suga, torna-se muito doloroso para a mãe, porque esta é a zona da mama onde existem terminações nervosas sensíveis à dor. Para além disto, o bebé fica cansado de sugar e tem dificuldade em obter alimento.
Ingurgitação periférica: Nas 48 horas que se seguem ao parto, dá-se a subida do leite. A vascularização das mamas aumenta, e começam a inchar. Nesta fase, a invaginação é vascular.
As mamas podem ficar duras, tensas e quentes. A mãe deve utilizar um soutien próprio para amamentar que segure o peito sem apertar, que tenha alças largas e que seja confeccionado com fibras naturais. Com a ingurgitação, o peito está cheio, duro e sensível.

No regresso a casa

Nos dias que a mãe permaneceu na instituição hospitalar foram-lhe ministrados conselhos sobre a amamentação e as diversas formas de pegar o bebé durante a amamentação.
Todavia, quando a mãe regressa a casa, especialmente se o bebé é o seu primeiro filho, parece esquecer alguns dos conselhos ministrados e não é raro aparecer na urgência hospitalar com dores no peito, ao mesmo tempo que explica que o bebé não pára de chorar porque certamente tem fome.
É importante que a mãe não esqueça que a ingurgitação é normal e que a forma de a aliviar é prevenir para que o peito não fique demasiadamente cheio.
Assim, para aliviar a dor, a mãe deve manter o bebé ao peito todo o tempo que o bebé necessitar e quando quiser. Especialmente durante os primeiros meses, a amamentação a pedido é essencial para o bebé e para a mãe. Quando o bebé não consegue esgotar o leite, a mãe pode retirá-lo com uma bomba ou com as mãos.
Quando o bebé tem inicialmente dificuldades em pegar no peito, a mãe não lhe deve oferecer a chupeta para que o bebé não se habitue a sugar nela em vez de pegar na mama.
Aprender a colocar o bebé vai-se aprendendo gradualmente. Amamentar um bebé é sempre uma aprendizagem entre a mãe e o bebé. Os primeiros dias poderão ser mais difíceis para ambos mas, com o tempo, muita paciência e muito amor, amamentar o bebé tornar-se-á fácil e agradável para ambos.
A ingurgitação pode afetar apenas a areola, ou a mama – ingurgitação periférica – ou o corpo da mama e a aureola

Prevenção de Ingurgitação mamária

Para prevenir a ingurgitação o bebé deve começar desde a primeira hora a mamar. Em muitas instituições hospitalares, imediatamente a seguir ao parto, colocam o bebé ao peito da mãe. Também é conveniente que até à altura em que o bebé não tenha aprendido a mamar, não lhe sejam dados a chupeta ou o biberão para que não se habitue às tetinas.
O bebé deve mamar sempre que deseje e é natural que, durante os primeiros dias, o bebé demore muito tempo agarrado ao peito. Se a mãe tem muito leite e o peito se encontra muito duro, deve retirar o leite antes que comece a sentir dores.
Quando o bebé fica satisfeito numa mamada apenas com o leite de uma mama, a mãe deve iniciar a amamentação na próxima toma pela mama que o bebé não pegou na toma anterior.
O melhor tratamento e prevenção para a ingurgitação é a amamentação frequente. Sempre que a mãe sentir o peito demasiado cheio, deve retirar um pouco de leite com uma bomba ou à mão.
“A mãe deve utilizar um soutien próprio para amamentar que segure o peito sem apertar, que tenha alças largas e que seja confeccionado com fibras naturais”

Recomendamos que leia também:  Como fazer uma amamentação correcta, conselhos, tempos e melhores posições para amamentar.

Extração manual

Lave bem as mãos antes de iniciar a extracção. Massaje suavemente o peito para facilitar a saída do leite. Pode até tomar um duche morno e aproveitar para fazer a massagem durante o banho.
Coloque o polegar e o indicador em redor da areola. Pressione no sentido do tórax e aperte os dedos. Este movimento simula a acção da sucção, fazendo com que saia o fluxo de leite.
Repita de forma rítmica estes movimentos a uma velocidade similar ao sugar do bebé. Amamentar um bebé é sempre uma aprendizagem entre a mãe e o bebé

Extração com bomba tira-leite

Existem diversos tipos de bomba, mas todas elas têm a mesma finalidade. Aliviar o peito do leite em excesso. Existem bombas eléctricas e manuais.
Algumas com apoio de silicone podem proporcionar uma verdadeira massagem ao peito.
“Para prevenir a ingurgitação o bebé deve começar desde a primeira hora a mamar”

Aconselhamento

Se tiver verdadeiras dificuldades em amamentar, pode falar com um dos grupos de apoio à amamentação que existem nas Unidades de Saúde.
Todavia, acredite que para quem inicia a amamentação pela primeira vez, existe sempre um período de adaptação mais ou menos longo.
Algumas mães, perante as primeiras dificuldades, querem desistir. Contudo, é necessário não esquecer que para tudo existe um período de adaptação e o leite materno é o único alimento que deve ser oferecido ao seu bebé.
O leite materno tem características e propriedades inigualáveis. Mesmo que inicialmente possa sentir quaisquer incómodos, eles serão compensados ao saber que está a cuidar da saúde do seu bebé,
oferecendo-lhe o melhor alimento. A OMS recomenda que pelo menos amamente o seu bebé até aos seismeses de idade.
“O melhor tratamento e prevenção para a ingurgitação é a amamentação frequente. Sempre que a mãe sentir o peito demasiado cheio, deve retirar um pouco de leite com uma bomba ou à mão”
Fonte: Dra. Madalena Barata, Diretora do Centro de Medicina da Reprodução do British Hospital-Lisbon XXI

você pode gostar também

Este site utiliza cookies para melhorar a navegação. De acordo com as leis europeias ao navegar neste site concorda com a utilização de cookies. Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close