Os primeiros dentes do bebé, quando nascem e que sintomas causam!

138

O surgimento dos primeiros dentes do bebé vem associado a uma série de consequências que muitas vezes a recém mamã não consegue associar. Por esse motivo vamos aqui abordar de uma forma resumida a dentição do bebé e explicar este fenómeno que causa muita dúvidas.

Primeiramente explicar que embora seja muito raro, há bebés que nascem já com dentes, mas a grande maioria só começam a ter os dentes decíduos  (dentes de leite) com um ano de vida. Ambas as situações são normais, e não devem ser motivo de preocupação.

Quando nascem os primeiros dentes e qual a ordem pela que surgem?

O ritmo a que os dentes do bebé vão nascendo, é algo que está definido geneticamente, o mesmo ocorre quando falta um dente definitivo. Devemos considerar que o facto de nascerem antes ou depois, não é bom nem é mau, o mais frequente é os dentes nascerem próximo dos seis meses de vida, mas os tempos são um pouco variados.

A ordem habitual do surgimento da dentição do bebé (lembrando que há excepções à regra) é: nascerem em primeiro os dentes centrais inferiores (incisivos), depois surgem os 4 de cima (incisivos centrais e laterais). Mais tarde, os incisivos laterais de baixo. Posteriormente os 4 primeiros molares, seguidos dos segundos molares que completam finalmente a dentição de 20 dentes.

Dentição do bebé

O que podemos fazer para aliviar os sintomas causados pelo nascimento dos dentes?

  •  Mordedores – Brinquedos com liquido no seu interior que possam ser colocados no frigorífico e dados ao bebé para ele morder e aliviar o desconforto.
  • Esfregar a gengivas com o próprio dedo dos pais ou dedeiras próprias para o efeito
  • Alimentos e líquidos frios
  • Administração de analgésicos ou anti-inflamatórios prescritos pelo pediatra
  • Gel com efeito refrescante (prescrito pelo pediatra) para esfregar as gengivas
  • Mimos e muita paciência pela parte dos pais. 

É normal surgir febre no bebé durante o nascimento dos dentes?

Habitualmente, quer em literaturas cientifica, quer alguns profissionais de saúde descreve este processo como isento de febre. Será?

Frequentemente, os pais que me procuram descrevem os bebés, nesta fase do nascimento dos dentes de leite, como bebés irritados, que mordem tudo o que lhes aparece à frente, que choram com frequência, que apresentam as gengivas inflamadas (vermelhas e inchadas) e com frequência ficam sub- febris (37ºC – 38ºC).

É sempre importante despistar, outra possível causa para o estado sub-febril, mas a causa pode mesmo ser o nascimento de mais um dente.

Quando estão chorões, com febre e têm mais de 6 meses, por vezes um anti-inflamatório (ibuprofeno) pode ser vantajoso, pois para além de analgésico e antipirético, alivia o processo inflamatório que ocorre durante o nascimento do novo dente, é importante que se aconselhe com o pediatra do seu bebé.

Podem surgir diarreias que acompanhem o nascimento de um novo dente?

A maioria das doenças infecciosas transmitem-se através das mãos. Nesta fase, é muito comum que o bebé, leve com maior frequência as mãos à boca, ou outro qualquer objecto que esteja por perto. Certamente que o nº de germes que chegam ao sistema gastro-intestinal, vão aumentar, alterando a flora intestinal e por consequência o número de indisposições intestinais. Estas diarreias por norma, não requerem tratamento, apenas vigilância e uma dieta adequada.

Esta mudança da flora intestinal, pode mudar também as características das fezes, tornando-as mais ácidas, aumentando também a probabilidade das irritações da pele na zona da fralda. É importante nesta altura, mudar a fralda com mais frequência e proteger a pele com um creme barreira.

O aumento da saliva é também uma característica comum nos bebés que atravessam esta fase, o que por vezes altera a pele ao redor da boca, provocando irritação da mesma. A pele desta zona deve manter-se seca o mais possível (usar babetes e muda-los com frequência e ser hidratada com um creme próprio para o efeito)

 Mais raro, mas também possível, é quando a erupção do dente rompe algum capilar e sangra ligeiramente ou forma-se algo parecido com uma “borbulha sanguinolenta” que acaba por romper quando ocorre o nascimento do dente e curar sem que nada se faça!

O nascimento de dentes com formas estranhas, ou duplicados, pode também acontecer, mas por norma na dentição de leite poucas vezes há necessidade de intervir.

Que cuidados requerem os dentes de leite?

A limpeza dos dentes é essencial, desde cedo devemos incutir hábitos de higiene dentária no bebé. Existem, no mercado, escovas de dentes, tipo dedeiras, que podemos aplicar no dedo e esfregar os poucos dentes existentes e as gengivas, eliminando restos alimentares que fiquem alojados. Em último caso podemos passar uma compressa húmida em água.

Deve evitar sempre oferecer líquidos açucarados, especialmente em biberões, pois aumentam o risco de aparecimento de cáries nos dentes do bebé. As cáries são mais frequentes nos quatro dentes centrais. Se houver suspeita de Carie, é conveniente ir de imediato a um estomatologista. O avanço de uma cárie, que não deixa de ser uma infecção, pode contaminar e prejudicar os dentes definitivos.

Quais os sintomas associados ao nascimento dos primeiros dentes?

Os bebés não reagem todos da mesma forma ao nascimento dos primeiros dentes. Enquanto uns ficam muito queixosos, choram, tentam morder tudo o que consigam levar à boca ou se recusam mesmo a comer, outros sentem apenas um desconforto ligeiro.

De entre os sintomas mais comuns associados ao nascimento dos dentes destacamos estes 5:

1. Nervosismo ou grande irritabilidade

O bebé pode ficar mais agitado, irritado e chorar sem motivo aparente.

2. Salivação abundante

O nascimento dos dentes aumenta a produção de saliva e o bebé pode babar-se com maior intensidade.

3. Perda de apetite ou rejeição do biberão

Quando o bebé tem o acto de sugar há uma maior afluência de sangue à gengiva já inchada o que aumenta o desconforto. Alguns bebés podem rejeitar a mama ou o biberão porque o contacto com as gengivas doridas aumenta o incómodo da zona afetada.

4. Dificuldade em dormir

O incómodo e a dor nas gengivas pode interferir com a qualidade do sono do bebé que acorda com dor à noite ou durante as sestas diurnas.

5. Gengiva mais vermelha e, por vezes, inchada

Nestas situações, embora raramente, poderá surgir uma febrícula (excecionalmente acima de 38,8 ºC). O nascimento dos dentes pode coincidir com a entrada na creche, onde o bebé contacta com outras crianças e pode ficar doente. Assim, a febre pode não ser um sintoma do nascimento dos dentes mas sim um sinal de doença.

Recomendamos que leia também:

Recém-Mamã: um guia de sobrevivência para o 1º mês
Aleitamento materno – a amamentação – Tudo o que necessita de saber!
Aleitamento materno – pequenos problemas, saiba como resolvê-los

 

É conveniente que a progenitora não se alarme com os sintomas do nascimento dos primeiros dentes e que procure ajudar a aliviar o bebé.

você pode gostar também Mais do autor

Este site utiliza cookies para melhorar a navegação. De acordo com as leis europeias ao navegar neste site concorda com a utilização de cookies Mais informação

Este site utiliza cookies para melhorar a navegação. De acordo com as leis europeias ao navegar neste site concorda com a utilização de cookies

Close