Sintomas desconfortáveis do pós parto

Sintomas desconfortáveis do pós parto
Avaliar
Apesar de todos os cuidados especializados para que as recém-mamãs tenham um puerpério agradável, alguns sintomas do pós parto não são agradáveis e devem minimizar-se.
Isabel Ferreira, enfermeira especialista em Saúde Materna e Obstétrica dá-lhe algumas sugestões para  reagir perante algum destes transtornos.
Texto: Cláudia Pinto
Entrevista: Isabel Ferreira, Gimnográvida
Depois do parto, podem surgir alguns transtornos que causam incómodos às recém-mamãs mas que podem facilmente prevenir-se.
São exemplo disso, as lombalgias, a incontinência urinária de esforço, o excesso de peso e flacidez, o Blues pós-parto e alguns problemas mamários: dor a amamentar, ingurgitamento mamário e fissuras mamárias.
No caso da cesariana, de episiotomia ou de correcções de lacerações perineais, pode haver dor no local da sutura.

Lombalgias

A prevenção passa por correção postural e exercício físico adequados antes e após o parto, através de exercícios simples que podem realizar-se em casa ou em sessões em grupo com orientação especializada.
A preparação física para grávidas efetua-se em alguns centros especializados de preparação para o parto e parentalidade.
Aí, as grávidas podem corrigir a sua postura e promover uma saudável adaptação do seu corpo à gravidez, inicialmente (a partir das 12 semanas de gravidez) através de sessões de Pilates Clínico para Grávidas e de Preparação Aquática na Gravidez e, adicionalmente, a partir das 28 semanas, através de exercícios específicos nas sessões de Preparação para o Parto.

Incontinência urinária de esforço

É um importante transtorno na saúde das mulheres, com repercussões sociais e económicas, causando problemas médicos secundários e deteriorando a qualidade de vida.
Pode ser definida como a incapacidade de controlar o esvaziamento da bexiga – quando se espirra, se tosse, ao rir, ao correr – ou de aguardar pelo momento e local adequados para o fazer.
Normalmente, está associada ao estigma de uma condição socialmente não aceite, quer devido à falta de conhecimento das pessoas, quer devido a apreciações erradas, preconceitos e intolerância.
Esta situação poderá levar ao isolamento pessoal, ao constrangimento social e ao adiamento em procurar ajuda profissional adequada.
“Tal como todos os outros músculos do nosso corpo, os músculos do pavimento pélvico ficam mais fortes se os exercitarmos.
É portanto importante que as grávidas aprendam e treinem regularmente exercícios para os músculos do pavimento pélvico, incorporando-os na sua rotina diária, antes e após o parto, mesmo em caso de parto por cesariana.
Os músculos perderam a força e ficaram rebaixados devido à pressão exercida pelo bebé no útero e  como sequelas, a mulher pode ter perdas de urina e disfunção sexual”, defende Isabel Ferreira.

Excesso de peso e flacidez

“O programa de Pilates Clínico pós-parto, quando iniciado no puerpério – primeiras 6 semanas pós-parto – é uma ferramenta útil no que concerne a ajudar a recém-mamã a recuperar mais facilmente a sua forma e o seu peso, associando adicionalmente alguns exercícios que ajudam a prevenir e corrigir a incontinência urinária.
O programa Pilates Clínico Pós-parto, com uma duração mínima de 4 semanas, é aconselhado iniciar-se 8 dias após o parto vaginal e 15 dias apís a cesariana.
Neste programa, a puérpera aprende a conhecer e a aceitar o seu corpo, a saber o que deve ou não fazer nesta etapa delicada, a retomar a forma, a confiança e a auto-estima, enquanto tonifica os músculos abdominais e recupera os músculos do pavimento pélvico (fundamentais no controlo da perda de urina)”, adianta a enfermeira.

Problemas mamários

Dor a amamentar, ingurgitamento mamário, fissuras mamárias – a maioria dos problemas mamários pode ser prevenido através de uma boa preparação familiar e do estabelecimento de uma rede sólida de suporte para a amamentação.
De facto, estes problemas estão relacionados com a técnica de amamentação e podem ser prevenidos ou minimizados com a correta orientação.
“Se a mãe tem problemas com a amamentação e sente dificuldade em resolvê-los, o melhor será pedir o apoio de mães que tiveram sucesso com a amamentação ou a conselheiras de amamentação.
Estas conselheiras podem encontrar-se nos Cantinhos de Amamentação – nos hospitais e centros de saúde – um pouco por todo o país ou em centros especializados de preparação para a parentalidade.”

Blues pós parto

Este desconforto provocado pelas alterações hormonais – próprias do período pós-parto – tornam a mulher mais intuitiva e emocional, menos racional, aumentando a sua sensibilidade e fazendo muitas vezes com que se sinta vulnerável.
“Não é portanto passível de grandes cuidados de prevenção, mas a forma como a mulher e a sua família aceitam este sintoma pode ser mais ou menos saudável de acordo com a sua preparação para as alterações da vida, em especial as relacionadas com a parentalidade – características do período pós-parto.
Assim sendo, as sessões de Preparação para a Parentalidade, oferecidas por alguns centros especializados, são ferramentas fundamentais para trazer um pouco mais de equilíbrio a este período tão delicado da vida familiar”, aconselha Isabel Ferreira.

Sutura dolorosa após cesariana

Após um parto por cesariana, poderão surgir vários desconfortos, à semelhança do que acontece com qualquer período pós-operatório.
“A maioria dos sintomas desagradáveis – dor, enjoos, vómitos, obstipação são frequentemente tratados com métodos farmacológicos durante o internamento hospitalar, mas existem também algumas alternativas não farmacológicas que as mulheres podem aplicar autonomamente.
No caso de parto normal, por vezes, existe a necessidade de suturar a região perineal após uma episiotomia ou para correcção de uma laceração natural dos tecidos (que normalmente é menos dolorosa)”, adianta a especialista da Gimnográvida.
Como métodos não farmacológicos para alívio da dor no local da sutura, “pode experimentar-se a aplicação de frio ou mesmo a utilização do TENS, um pequenino aparelho de estimulação eléctrica transcutânea que, de uma forma não invasiva, se tem evidenciado como uma estratégia simples e eficaz, não só para alívio de dores relacionadas com suturas pós-operatórias, como também para minimizar as lombalgias e várias dores musculares”.

Conselhos práticos para o pós parto:

– Antes do nascimento do bebé, procure rodear-se de uma boa rede de apoio, constituída por exemplo pelo marido, por familiares próximos, por amigos e/ou por profissionais de saúde, que lhe possam dar orientação e suporte.
– Adicionalmente, Isabel Ferreira sugere que os casais frequentem as sessões de preparação para o parto e a parentalidade, oferecidas pelo serviço de saúde público ou pelos centros privados de Preparação para Parto e Parentalidade, pois são trabalhados estes aspetos e oferecidas ferramentas muito importantes para que este período de grande mudança na vida familiar seja vivenciado na sua plenitude e que todos os eventuais obstáculos sejam rapidamente ultrapassados.
– “Após o parto, as sessões de grupo pós-parto para mães e bebés são momentos fundamentais de partilha de experiência e emoções, servindo não só para promover o equilíbrio emocional e familiar, mas também o bem-estar e o equilíbrio físico da mulher”, adianta Isabel Ferreira.
DESTAQUES
Depois do parto, podem surgir alguns transtornos que causam incómodos às recém-mamãs mas que podem facilmente prevenir-se
Após um parto por cesariana, poderão surgir vários desconfortos, à semelhança do que acontece com qualquer período pós-operatório
É aconselhado iniciar o programa de Pilates Clínico Pós-parto, 8 dias após o parto vaginal e 15 dias após uma cesariana
É importante que as grávidas aprendam e treinem regularmente exercícios para os músculos do pavimento pélvico, incorporando-os na sua rotina diária antes e após o parto

você pode gostar também

Este site utiliza cookies para melhorar a navegação. De acordo com as leis europeias ao navegar neste site concorda com a utilização de cookies. Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close