Atividade física, amiga do seu coração e todo seu organismo

Atualizado a:

O Dr. Jeremy Morris, epidemiologista britânico, no final dos anos 40, comparou a incidência de ataques cardíacos entre os motoristas e os cobradores dos autocarros ingleses de dois andares. Enquanto os motoristas passavam cerca de 90 por cento do tempo de trabalho sentados ao volante dos autocarros, os cobradores subiam e desciam mais de 600 degraus todos os dias. 

Os dados estatísticos publicados em 1953 provavam que os cobradores tinham menos de metade dos ataques cardíacos dos seus colegas motoristas. Desde então e especialmente nos últimos 10 anos, a quantidade e a qualidade dos estudos científicos que relacionam os benefícios da atividade física com a saúde cardiovascular tem sido enorme. Há evidência científica mais do que suficiente que prova que a inatividade física é um fator de risco para as doenças cardiovasculares mais prevalentes, nomeadamente o enfarte agudo do miocárdio e o acidente vascular cerebral (AVC).

Atividade física

Cerca de 30 minutos por dia de uma atividade física de intensidade moderada é quanto basta para trazer benefícios para a saúde. No entanto, se os nossos objetivos forem mais exigentes, como por exemplo reduzir o peso, ajudar a controlar o nosso colesterol ou a nossa tensão arterial, então serão necessários cerca de 60 minutos por dia.

Mas o que é uma atividade física de intensidade moderada?

Atividade física é todo o movimento corporal produzido pela musculatura esquelética, do qual resulta um dispêndio energético acima do nível de repouso. Por outras palavras, tudo o que faça desde que não esteja sentado a ver televisão ou a ler o jornal é considerado atividade física.

Então ver montras num centro comercial ou passear à beira mar e apreciar o pôr-do-sol é uma atividade física? É, mas … não é de intensidade moderada. É uma atividade física ligeira. Para ser moderada obriga a que a minha frequência respiratória aumente ligeiramente, que o meu coração bata um pouco mais de pressa e que sinta um pequeno calor na testa e uma ligeira sudação pelo corpo.

E como posso saber se não estou a exagerar e não me estou a exceder na intensidade do meu exercício físico? Numa atividade física de intensidade moderada eu consigo falar com alguém que hipoteticamente vai ao meu lado, o chamado teste de conversação. Se, durante a minha atividade física, não conseguir falar com alguém que me acompanhe, então estou a realizar uma atividade física intensa demais para mim. Por outro lado, se não me custa nada falar com quem vai ao meu lado, então a atividade física que estou a desenvolver é demasiadamente leve para mim.

O que para uns pode ser uma atividade física moderada, para aqueles que já estão treinados ou que de uma forma regular e sistemática fazem as suas caminhadas ou os seus passeios, pode ser uma atividade física ligeira. Também é verdade que para quem não está habituado qualquer atividade física pode ser extenuante e demasiadamente intensa.

Nem sempre é fácil encontrar quem nos possa acompanhar nas nossas caminhadas ou nos nossos passeios. No entanto, as nossas “caras metades” que nos acompanham na vida há anos podem ser o nosso par ideal. Há sempre coisas a dizer, conversas a pôr em dia, assuntos a tratar e, de mão dadas, com o passo certo e bem ritmado, apertam-se laços, partilham-se ideias e aquele fim de dia pode tornar-se bom para o coração.

Vá lá, vistam uma roupa ligeira, calcem uns sapatos confortáveis, peguem numa garrafinha de água, “façam-se” ao passeio, desfrutem e “sigam o caminho para um coração saudável”. Afinal é esse o lema para este Dia Mundial do Coração.

você pode gostar também