Surdez infantil, causas, diagnóstico, sintomas e tratamentos

Atualizado a:

Implante no ouvido tem ajudado crianças com problemas de audição. O implante coclear é hoje considerado como a melhor solução para pessoas que sofrem de surdez profunda e para as quais os aparelhos convencionais não são suficientes. Para falar sobre isso, entrevistou o Dr. Pedro Luiz Mangabeira Albernaz, professor titular da disciplina de Otorrinolaringologia.

Quais as principais causas da surdez infantil?

A grande preocupação hoje é mais com respeito ao diagnóstico precoce da surdez do que com a identificação de suas causas. Ocorre que freqüentemente a surdez passa despercebida, ou porque os pais não conseguiram identificá-la ou porque o pediatra tranqüiliza a família, e os exames específicos deixam de ser feitos. Esse não é um problema brasileiro, pois acontece no mundo inteiro.

surdez infantil

Qual é a idade mais propícia para diagnosticar a surdez, e evitar que a criança perca seu ritmo normal de desenvolvimento?

Quanto mais cedo isso ocorrer, maiores as chances de evitar danos à criança. O ideal é que se descubra o problema com um ano de idade, e que se dê início ao tratamento imediatamente.

O que os pais devem fazer para detectar uma possível surdez em seu bebê?

Provocar ruídos como estímulos e testar a reação da criança. Se alguém se aproximar de um recém-nascido e amassar um pedaço de papel, ele estremece por inteiro. Quando ele cresce um pouco mais, já não responderá a esse tipo de estímulo. Outra forma de fazer isso é com a voz da mãe. Caso não haja resposta que indique audição, deve-se partir para exames de maior precisão.

Que conseqüências a surdez infantil traz ao desenvolvimento global da criança?

O grande problema causado pela surdez de percepção é a aquisição da linguagem.

Como funciona esse mecanismo de aquisição da linguagem?

Através do uso da capacidade de emitir sons, adicionada à capacidade da audição, que verifica a semelhança existente entre os sons emitidos e os sons ouvidos. Esse processo é essencialmente imi-tativo. Aos poucos a criança vai percebendo que determinadas palavras identificam coisas e pessoas. Assim, a linguagem vai sendo adquirida. Isso é impossível sem audição. No passado, era comum referir-se à uma pessoa surda como surdo-mudo. Ocorre que essa pessoa não tinha qualquer problema com as cordas vocais. Ela não aprendeu a falar porque não ouvia. Não podia imitar. Sua vida não tinha sons.

Qual deve ser o procedimento dos pais, ao perceberem que a criança tem problemas auditivos?

Submeter a criança ao exame de audiometria de tronco cerebral. Através de eletrodos fixados na cabeça, esse exame identifica respostas elétricas de origem auditiva. Se depois de um tempo determinado em que foi emitido um som, surgir uma resposta elétrica, então sabemos que o sistema nervoso central da criança está respondendo aos sons.

Caso o diagnóstico indique surdez de percepção, qual o próximo passo a ser dado?

Em primeiro lugar é preciso auxiliar a criança a adquirir a linguagem. Ajudar a criança a ouvir alguns sons, é vital. Isso pode ser feito através do aproveitamento de restos auditivos, com o auxílio de aparelhos de surdez que ampliam os sons. Caso a criança não apresente restos auditivos aproveitáveis, a solução será o implante coclear. Entretanto, nem o aparelho auditivo nem o implante funcionam sem que haja um esforço conjugado de reeducação. A criança surda precisa de uma ajuda extra.

Os próprios pais podem realizar esse trabalho, ou é necessária ajuda profissional?

Em Los Angeles, nos Estados Unidos, existe uma escola que se chama The John Trace Clínica. John Trace teve filhos surdos. Sua mãe, esposa do ator Spence Trace, fundou a escola, que atualmente oferece um curso de correspondência aos pais de crianças surdas. Os interessados podem escrever para lá, e receber em casa as aulas de como ajudar a criança surda a adquirir linguagem. O material é oferecido nas línguas inglesa e espanhol.

O que é o implante coclear Ali Hear?

E uma prótese minúscula, com uma parte interna que é implantada cirurgicamente na cóclea, sob a pele da área localizada atrás da orelha. A parte externa é um disco com três centímetros de diâmetro e um de espessura, que contém um microfone, um processador de sinais e um transmissor externo. Esse disco é utilizado atrás da orelha e fica sob o cabelo. Um íman ajustável permite o seu posicionamento sobre a unidade interna, permitindo que o sinal elétrico da bobina externa passe à bobina interna através da pele. A função do aparelho é transformar os sons em correntes elétricas que estimulam diretamente o nervo acústico. Ele não deve ser confundido com um amplificador de sons.

A criança que se submete ao implante passa a ter sensação auditiva perfeita?

Ela consegue ouvir bem os sons ambientais e os sons da voz humana, mas lhe falta a discriminação auditiva. Precisa dos olhos para completar a informação.

Os efeitos psicológicos da surdez são eliminados após o implante?

No caso de surdez congénita, não se têm verificado problemas psicológicos. Mas isso é comum no caso da surdez adquirida. A criança acometida por meningite ou encefalite, após o implante passa, segundo os pais, a ter um comportamento mais semelhante ao do período anterior à surdez.

A perda da audição aos 2 ou 3 anos de idade, pode prejudicar a aquisição da linguagem?

A consolidação da linguagem ocorre por volta dos 8 a 10 anos de idade. A perda da audição antes dessa idade prejudica a aquisição da linguagem. Nesses casos, o tratamento fonoaudio-lógico é essencial.

Há um limite de idade para se fazer o implante coclear?
Não há um limite rigidamente estabelecido, mas atualmente aconselhamos os dois anos como a idade ideal, por ser a época em que as células demastóides se desenvolvem. Estamos estudando em detalhes a anatomia de bebés entre 1 e 2 anos de idade, porque achamos que o tratamento poderia iniciar mais cedo ainda.

Qual é a época mais apropriada para se fazer o implante?
Quanto mais cedo melhor. Na criança normal, a fase de máxima atividade do sistema nervoso central em aquisição de linguagem vai dos 2 aos 30 meses. E claro que posteriormente há um enriquecimento da linguagem, mas é nessa época que ocorrem os grandes esforços de aquisição de linguagem. Essa é uma das razões porque é necessário diagnosticar a surdez precocemente.

É possível prevenir a surdez infantil?

Prevenir totalmente não é possível, mas reduzir drasticamente os riscos é bastante simples com alguns cuidados e medidas. A rubéola é uma das maiores causas de surdez infantil no nosso país. Aos 14 anos de idade, toda as mulheres deveriam submeter-se à vacina anti-rubéola. Muitos problemas acontecem porque em nosso país é comum meninas de 14 anos engravidarem. Toda mulher, antes de engravidar, deve ser vacinada e fazer exames para verificar a possibilidade de ser portadora da doença. Há também as infecções intestinais graves do primeiro ano de vida. O tratamento à base de antibióticos potencialmente tóxicos, ao ouvido interno, tem sido fator de um grande número de casos de surdez adquirida. Saneamento básico e higiene pessoal são fatores essenciais para evitar esse mal.

você pode gostar também