Tenho apneia, o que fazer? Testemunho de quem tem apneia.

Testemunho de uma pessoa com apneia.

Tenho apneia, o que fazer? Testemunho de quem tem apneia.
4.8 (96%) 10 votos

A palavra grega “apnea” significa “sem respiração”. As pessoas que sofrem de apneia do sono e que não se tratam param, repetidamente, de respirar enquanto dormem, algumas centenas de vezes, muitas vezes durante um minuto ou mais.

No princípio de Janeiro de 2002, acordei com uma dor de cabeça tão intensa que nem conseguia levantar a cabeça. Episódios desses aconteciam-me cada vez com mais frequência. Engoli uns comprimidos, respirei fundo duas ou três vezes e comecei a sentir-me melhor. Depois de me levantar e de me começar a mexer pela casa, a dor passou.

Na manhã seguinte, a ocorrência repetiu-se. Depois de acordar assim aflita umas seis vezes seguidas, desconfiei que devia haver algo de errado comigo. Não achava que fosse o stress a causar as dores de cabeça; mas, então, o que seria? Eram excruciantes! E porque seria que acordava sempre com a sensação que não tinha descansado nada? Sabia que ressonava e que, muitas vezes, me virava de um lado para o outro na cama, mas o que é que isso tinha a ver com a minha cabeça dolorida?

Sentada ao computador, fui a um motor de pesquisa na internet e escrevi “dores de cabeça matinais”. Quase todos os sites que apareceram continham algo sobre uma condição chamada “apneia do sono”. Intrigada, comecei a minha pesquisa. Não fazia a mínima ideia de que o que iria encontrar mudaria a minha vida.

Fiquei a saber que a apneia do sono é um problema real que aflige milhões de pessoas. Tipicamente, o que acontece com a maioria das vítimas começa na parte de trás da garganta. Os tecidos moles dessa região cedem enquanto as pessoas dormem, fechando as vias respiratórias. O cérebro, vendo-se subitamente privado de um novo suprimento de oxigénio, envia um aviso aos pulmões. “Arranja ar, agora!”, ordena. Nesta altura a pessoa acorda – mesmo que só por um minuto – para respirar.

Imagine que fica sem respirar durante 10 a 20 segundos, depois, ofegante, tenta inalar algum ar, só para parar de novo – centenas de vezes durante o que deveriam ser oito horas de um sono reparador. Para o paciente de apneia do sono, isso acontece todas as noites.

U.S. Food and Drug Administration

Em consequência, as pessoas que sofrem de apneia do sono acordam, muitas vezes, com dores de cabeça causadas por falta de oxigénio. Resumindo, lutam contra o envenenamento por dióxido de carbono! Mais preocupante ainda, fiquei a saber que havia quem deixasse de respirar e nunca mais o voltasse a fazer – e os casos não eram poucos! Deixavam esta vida silenciosamente. Já tinha ouvido o lamento “Ela morreu durante o sono,” mas não me apercebi de que a morte poderia ter sido causada por esse problema, um problema com que eu talvez me estivesse a debater.

O diagnóstico de apneia do sono veio explicar por que razão eu me sentia tão mal de manhã. Eu queria saber o que causava esta condição e o que é que eu poderia fazer para a resolver. Com as dores de cabeça a pressionarem-me e o medo a cercar-me, decidi não me tornar noutra estatística.

solução para apneia do sono

Em Portugal inúmeras pessoas sofrem de apneia do sono, mas, muitas vezes, o assunto é apenas descartado como sendo um ressonar pesado. Se tiver algum dos sintomas acima mencionados, não hesite: fale com o seu médico e peça-lhe que o envie a uma consulta do sono.

A apneia do sono tem sido chamada “assassina silenciosa”. No meu caso, foi necessário passar por um período de desespero para que compreendesse que era um problema que punha em causa a minha vida e o que eu podia fazer para o ultrapassar. Não deixe que ele entre em sua casa sem se fazer anunciar. Preste atenção aos sinais de aviso. Se a apneia do sono não for tratada, os sintomas mais comuns ou efeitos secundários são:

  • Um ressonar pesado

  • Sono sem descanso (dificuldade em respirar, resfolegar, sentar ou até levantar-se da cama, embora não se esteja totalmente acordado)

  • Dores de cabeça matinais

  • Sono durante o dia

  • Tensão alta

  • Aumento de peso

É importante que vá ao médico se achar que poderá estar a sofrer deste problema. Isso poderá salvar-lhe a vida. Um especialista poderá sugerir vários tratamentos, incluindo:

  • Descongestionantes

  • Dormir de costas

  • Perda de peso

  • Cirurgia

  • Máscara respiratória.

Não espere. Dormir sem respirar não é brincadeira nenhuma. Informe-se sobre os factos; depois entre em acção. Acredite, vai dormir muito melhor.

Comecei a investigar as opções de tratamento de apneia. Mencionadas online estavam várias clínicas de problemas do sono onde poderia marcar uma consulta para que o meu problema fosse correctamente diagnosticado. Descobri que, se os médicos achassem necessário, eu poderia adquirir uma máscara para usar durante a noite e que me ajudaria a obter a quantidade de oxigénio adequada.

Mas haveria alguma coisa que eu poderia fazer sozinha?

Sim havia! Era só olhar bem para a minha cara, cada vez que me visse ao espelho.
Com 1,60 m e 110 kg de peso, eu sabia que tinha um problema de obesidade. Eu até reconhecia que o facto de ressonar poderia ser o resultado de excesso de peso. Mas a apneia do sono? Impossível!
Quanto mais investigava, mais via o padrão a formar-se. Embora o excesso de peso pudesse não ser a única causa do meu estado, o que é certo é que não ajudava em nada. Com isso em mente, contactei uma clínica de perturbações do sono. Ficaram de me ligar. Enquanto esperava, tomei uma decisão monumental: iria perder peso!

Como milhões de outras pessoas, já tinha feito dieta e falhado miseravelmente. Contudo, agora, com a minha vida possivelmente no prato da balança, perder os quilos extras tornou-se algo urgente. Todos os websites que visitava transmitiam a mesma mensagem – se perdesse 5 a 10 por cento do meu peso corporal, os efeitos da apneia do sono iriam aliviar. Enquanto não tinha consulta, comecei a minha viagem para uma saúde melhor – um quilo de cada vez.

Hoje, quando me perguntam, “Como é que conseguiste? Como perdeste peso?”, a minha resposta é sempre a mesma: “Decidi, apenas, fazê-lo”.
Estabeleci um alvo mínimo – uma perda de 10 por cento. Isso significava que precisava de perder 11 kg. Nada de mais. Consegui. Depois perdi mais 10 quilos. Depois mais 10. Nesta altura já consegui retirar, do meu corpo, 47 kg.

E o que aconteceu com a minha apneia do sono e com as minhas dores de cabeça matinais? Solucionei-as sem intervenção médica logo que perdi os primeiros 10 por cento!
Gostaria que este fosse o caso com todas as pessoas. A apneia do sono é algo mais comum do que eu imaginava. Algumas pessoas que se debatem com este problema não têm excesso de peso e têm de continuar a procurar uma opção. Mas, para muitos como eu, o alívio pode vir naturalmente conforme os quilos se forem derretendo.

Recomendamos que leia também:

Apneia Obstrutiva do Sono na Criança

Ressonar e parar de respirar durante o sono: as soluções da terapia da fala

Ressonar: salve o seu sono reparador

Fadiga crónica – Um cansaço que não termina

Texto de Janice Thompson
Fonte: Associação Americana de Apneia do Sono

você pode gostar também

Este site utiliza cookies para melhorar a navegação. De acordo com as leis europeias ao navegar neste site concorda com a utilização de cookies. Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close