Como o exercício físico pode ajudar a prevenir a doença de Alzheimer

Como o exercício físico pode ajudar a prevenir a doença de Alzheimer
Avaliar

A doença de Alzheimer é a forma mais comum de demência, constituindo 50 a 70 por cento de todos os casos. Provoca uma deterioração global, progressiva e irreversível de diversas funções cognitivas (memória, atenção, concentração, linguagem, raciocínio,…). Saiba como o exercício pode ser um aliado na batalha contra esta doença.

Depois de abordar o tema de como cuidar do doente de Alzheimer  achamos também importante falar sobre a importância do exercício físico e das actividades físicas para prevenir esta doença ou até mesmo para a tentar controlar.

Atualmente é uma doença incurável mas existem tratamentos que permitem algumas melhorias do estado de saúde do paciente, retardando o declínio cognitivo e outros sintomas, de forma a controlar determinadas alterações de comportamento e proporcionar melhor qualidade de vida para os pacientes e restante família.

Este tipo de demência é reduzida nos idosos entre os 65-70 anos (2-3 por cento), mas aumenta exponencialmente com a idade, chegando a ser de 60 por cento acima dos 90 anos.

prevenção de Alzheimer

Exercício físico e prevenção de Alzheimer:

Inúmeros estudos revelam que a probabilidade de desenvolver Alzheimer diminui em pessoas que praticam exercício físico com regularidade, sendo igualmente relevante na redução drástica da perda de memória e no declínio cognitivo. São visíveis resultados a partir de 3 horas de prática acumulada ao longo da semana, combinando treino de força e cardiovascular.

Atividades como caminhar, correr, nadar, ténis ou ir ao ginásio (elípticas, passadeira, bicicleta estática,…) aparentam ser as mais adequadas. Uma vez que o risco cardiovascular (devido ao colesterol elevado, hipertensão e diabetes) está associado a um maior risco de desenvolvimento da doença, qualquer atividade aeróbica ajudará, indiretamente, a prevenir o Alzheimer e contribui para uma melhoria do bem-estar geral.

Sabendo-se que a atividade cognitiva é determinante na prevenção, é recomendável a inclusão de atividades cognitivas nos exercícios através de diferentes desafios, rotinas específicas – aulas de grupo que contenham coreografias são excelentes formas de estimulação mental, pelo que são aconselháveis – tarefas de memorização e outras que mantenham uma boa oxigenação cerebral.

 

Após o diagnóstico de Alzheimer, quais os benefícios do exercício físico?

Uma vez que as áreas mais afetadas são aquelas associadas à memória, aprendizagem e coordenação motora, será importante que, para além de jogos cognitivos de memorização, sejam estimuladas capacidades físicas relacionadas com o dia-a-dia e prevenção de quedas, aumentando a autonomia e qualidade de vida dos pacientes e diminuindo a dependência da família.

Atividades relaxantes também podem ser interessantes,  uma vez que com o avançar da doença aumenta a confusão mental e com isso alguns sinais de agressividade e alterações de humor.

Em resumo, a chave está em manter um estilo de vida ativo a nível físico e cognitivo, não esquecendo que cada pessoa é única, assim como cada paciente de Alzheimer e os dias que vive – não há dois dias iguais.

você pode gostar também

Este site utiliza cookies para melhorar a navegação. De acordo com as leis europeias ao navegar neste site concorda com a utilização de cookies. Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close