Diabetes, o que fazer depois do diagnóstico de diabetes?

Diabetes, o que fazer depois do diagnóstico de diabetes?
Avaliar

A descoberta de que se é portador de diabetes traz consigo um conjunto de dúvidas e perguntas.

Os doentes têm de aprender a conhecer os seus sintomas, a precaver as suas descompensações e a gerir a sua medicação. Saiba o que acontece partir do momento em que se é diagnosticado.

Quando se é confrontado com o diagnóstico de diabetes, a angústia toma conta da maioria das pessoas e a descoberta desta condição, com a qual se tem de viver toda a vida, pode ser verdadeiramente assustadora. O desconhecimento relativo à doença, as ideias preconcebidas e o receio das complicações que a diabetes pode arrastar consigo são os principais responsáveis pelo choque inicial da notícia. No entanto, saiba que, desde que bem controlada, a diabetes não o/a impedirá de ter uma vida normal, saudável e ativa.

O que deve fazer para isso? João Filipe Raposo, endocrinologista e diretor clínico da Associação Protectora dos Diabéticos de Portugal (APDP), explica que “a partir do momento em que uma pessoa é diagnosticada deverá ter o apoio de uma equipa de saúde especialmente treinada em diabetes.

Essa equipa permitirá à pessoa com diabetes recém-diagnosticada exprimir o que sabe e que medos poderá ter em relação à diabetes”. Isto porque se trata de uma doença crónica e o seu tratamento passa por uma mudança de comportamentos e por uma aprendizagem de novas competências. O doente não terá, obviamente, de “deixar de viver”, mas sim aprender a viver de uma forma um pouco diferente.

Plano de tratamento definido em grupo

Segundo o endocrinologista, é fundamental definir um plano terapêutico em conjunto com a equipa médica que o/a acompanha, o qual deverá assentar na já conhecida tríade alimentação-exercício-medicação (comprimidos ou insulina). “O que se pede é que as pessoas com diabetes tentem adquirir hábitos mais saudáveis de vida generalizando-os a toda a família e pessoas próximas. Deste modo, não só as pessoas com diabetes andarão melhor, como estarão a contribuir para a prevenção da diabetes das outras pessoas”, revela.

No caso da diabetes tipo 1, caraterizada pela incapacidade do organismo produzir insulina, o tratamento passa obrigatoriamente pela administração desta hormona, a partir do momento em que se confirme o diagnóstico, e, posteriormente, pela alteração do estilo de vida.

Já a principal estratégia para tratar a diabetes tipo 2 consiste na mudança de comportamentos e na adoção de hábitos de vida saudável. Melhor alimentação, mais atividade física, menos stress e horários regulares são alguns dos ingredientes fundamentais.

Só depois entra em campo a medicação oral prescrita pelo médico e, em certos casos – quando as medidas indicadas não são suficientes para controlar a diabetes -, a toma de insulina. Esta é a chamada terapêutica mista da diabetes.

Como não há duas pessoas iguais, o plano de tratamento deve ser adaptado a cada indivíduo, de acordo com a sua idade, presença de complicações tardias e estilo de vida, nomeadamente, exercício físico que pratica, hábitos alimentares, horários de trabalho e estado emocional.

O principal objetivo do tratamento “é aproximar os valores de glicemia dos valores das pessoas sem diabetes sem aumentar significativamente riscos de saúde”, informa João Filipe Raposo. Ou seja, manter o açúcar (glucose) no sangue o mais próximo possível dos valores normais, de modo a prevenir o desenvolvimento das complicações tardias da diabetes e, no caso da diabetes tipo 1, diminuir o risco das descompensações agudas, como a hiperglicemia (níveis muito elevados de glicose no sangue) e cetoacidose (quando não há insulina suficiente e as células não podem captar a glicose).

O diabético deve aprender a ser “médico de si próprio”

Quem sofre de diabetes deve aprender o máximo que puder acerca da doença. Quanto mais souber, melhor poderá, juntamente com o médico, ajustar o seu estilo de vida e tratamento a fim de evitar futuras complicações.

Na realidade, os profissionais de saúde indicam o caminho, prescrevem medicamentos, aconselham novas regras alimentares, alterações de hábitos ou comportamentos, mas não o acompanham vinte e quatro horas por dia. Como tal, só o doente pode mudar os seus hábitos de vida, tratar de si próprio e controlar a diabetes.

Por isso, à tríade terapêutica mencionada anteriormente acrescem ainda dois elementos fundamentais: a autovigilância e autocontrolo do nível de glicose. Para o ajudar nesta tarefa, o doente deverá manter um registo dos resultados das suas medições de glicemia e revê-lo a cada consulta com o seu médico. Esta autovigilância ajudá-lo-á a verificar como os alimentos, a atividade física e a medicação afetam os seus níveis de glicose no sangue e em que momentos do dia as alterações ocorrem.

O diretor clínico da APDP realça ainda a importância do controlo de outros fatores de risco como a tensão arterial elevada e os níveis elevados de colesterol, uma vez que “estes fatores e os valores de glicemia elevados contribuem para o aparecimento de doença vascular que pode originar os enfartes de miocárdio, AVC (acidente vascular cerebral) e doença vascular periférica”.

Mas, entre tantas recomendações, como se sabe se a diabetes está controlada? De acordo com João Filipe Raposo a resposta é simples: a doença estará bem controlada “se não existirem sintomas de descompensação (sede intensa, urinar muito, fome, etc.), se evitarmos o aparecimento ou progressão das complicações da diabetes e se conseguirmos manter uma boa qualidade de vida”.

Recomendamos que leia também: 11 Mitos sobre Diabetes que a maioria das pessoas pensam ser verdade

você pode gostar também

Este site utiliza cookies para melhorar a navegação. De acordo com as leis europeias ao navegar neste site concorda com a utilização de cookies. Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close