Meditação ajuda a reduzir a inflamação crónica

Avaliar

Uma investigação levada a cabo por neurocientistas da Universidade de Wisconsin-Madison, nos Estados Unidos da América, concluiu que através da meditação mindfulness – prática da atenção plena – é possível aliviar inflamações crónicas causadas por patologias como artrite reumatoide ou asma.

Já há muito que a meditação é procurada como forma de aliviar situações de depressão e stress. Neste caso, sendo o stress um fator influente nos processos de inflamação, a investigação focou-se nos efeitos fisiológicos da meditação sobre o cérebro e no poder do cérebro para influenciar a saúde humana, contribuindo para o conhecimento relativo à meditação mindfulness e como ela afeta o corpo.

Através do estudo foi criado o projeto designado por Mindfulness Based Stress Reduction (MBSR) – Programa de Redução de Stress Baseado na Atenção Plena. Enquanto que nos programas já existentes de redução de stress pela meditação, o corpo e mente são mobilizados para a aprendizagem da atenção plena, o MBSR foi originalmente criado para a gestão da dor crónica e é agora amplamente utilizado para tratar patologias psicológicas associadas a doenças crónicas, bem como transtornos emocionais e comportamentais.

A experiência contou com dois grupos, um de práticas mindfulness e outro de controlo. A tarefa do primeiro grupo consistiu em concentrar continuamente a sua atenção na respiração ou sensações corporais, focando a mente apenas no momento presente – meditação mindfulness. Já o grupo de controlo estava inserido num programa com práticas de educação nutricional, atividade física (andar, equilíbrio e agilidade, entre outros) e terapia musical. Os resultados concluíram que o grupo de meditação mindfulness teve mais sucesso em reduzir a inflamação do que o grupo de controlo.

Melissa Rosenkranz, a principal autora do estudo, afirma que ” a meditação não é uma cura para tudo, mas o nosso estudo mostra que existem formas específicas em que a atenção plena pode ser benéfica, e que existem determinadas pessoas que tendem a obter mais benefícios desta abordagem relativamente a outras intervenções”.

Isto significa que a meditação mindfulness pode ser vantajosa para aqueles que não beneficiam das opções terapêuticas disponíveis devido aos efeitos secundários dos medicamentos ou por simples ineficácia dos tratamentos.

Neste sentido, como refere a autora do estudo “a abordagem baseada na plena atenção para a redução do stress pode oferecer uma alternativa de baixo custo ou complementar ao tratamento prescrito e pode ser praticada facilmente pelos pacientes nas suas próprias casas, sempre precisarem”.

Fonte: University of Wisconsin-Madison News

você pode gostar também

Este site utiliza cookies para melhorar a navegação. De acordo com as leis europeias ao navegar neste site concorda com a utilização de cookies. Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close