Importância da vitamina D

Quais os benefícios da vitamina D para o organismo humano.

Importância da vitamina D
Avaliar

Qual a importância da vitamina D para o organismo humano?

Muitas pessoas desconhecem ou desvalorizam a importância da vitamina D, isso tem que mudar na mentalidade das pessoas em geral. Vamos abordar os benefícios da vitamina D para o nosso organismo e quais as melhores formas de obter esta vitamina.

Um pouco de história relacionada com vitamina D:

Quando o historiador grego Heródoto foi a um campo de batalha onde os persas foram vencidos pelos egípcios em 526 a.C., percebeu que o esqueleto dos guerreiros persas era muito mais frágil do que o dos egípcios, podendo ter sido este um dos principais motivos para a derrota dos persas.

Os egípcios na sua ampla sabedoria, atribuíam essa diferença ao efeito da luz solar, à qual estavam expostos desde que nasciam. Já o povo persa tinham por hábito usar turbantes para se proteger do sol. Após 2500 anos, foram efetuadas pesquisas científicas que confirmam a explicação egípcia.

A deficiente formação óssea, doença comum da infância, tem como consequência ossos finos e mais quebradiços, além da deformação óssea do esqueleto, ficou designada como raquitismo. Sabe-se que o raquitismo era mais frequente em crianças nascidas nas cidades durante o período do Outono e Inverno.

A vitamina D demorou algum tempo para ser descoberta, porque foi confundida inicialmente com a vitamina A. A investigação do professor inglês, publicada em 1918, não continha explicação para a contribuição dos alimentos cárneos na prevenção do raquitismo, uma vez que esses alimentos não são fontes de vitamina A. Essa evidência acabou por vir a resultar em mais estudos. Um grupo de pesquisadores americanos veio a publicar, no ano 1922, a existência de outra vitamina diferente, que possuía propriedades muito específicas na regulação do metabolismo ósseo dos humanos.

Dessa altura em diante, já se fizeram mais experiências que vieram a comprovar a importância da luz solar na prevenção do raquitismo. Aproximadamente em 1930, a vitamina D foi isolada quimicamente e passou a ser denominada calciferol.

Mais tarde, no ano 1936, investigadores concluíram que o 7 – deidrocolesterol (uma pré-hormona natural encontrada na pele) se transformava em vitamina D quando a pele estava sujeita a irradiação ultravioleta. A explicação para este fato era plausível diante das primeiras evidências de Heródoto.

Mais recentemente, já no ano 1968, concluiram que a forma química metabolicamente activa no organismo era na verdade o 25-hidroxicolecalciferol. A partir dessa descoberta, outros compostos activos foram encontrados e documentados cientificamente.

Na atualidade está mais que provado que a vitamina D pode ser adquirida, pré-formada, tanto pela ingestão como pela exposição ao sol.

Cabe no entanto salientar que a vitamina D foi uma das maiores descobertas na área médica de todos os tempos. Estima-se que só na Europa, no ano 1900, aproximadamente 90% das crianças pequenas sofreram de raquitismo e que muitas delas morreram em consequência da deficiência de vitamina D.

benefícios da vitamina d

A vitamina D e o Metabolismo

Após ser ingerida, a absorção da vitamina D para o organismos, é feita juntamente com as gorduras do intestino, auxiliada pela bílis produzida pelo fígado. O transporte é feito na corrente sanguínea, através da proteína plasmática de ligação da vitamina D (PLD), seguindo até ao fígado.

Já no fígado, ela é transformada na sua forma activa, podendo ser depois armazenada no próprio fígado, na pele e nos ossos. Os precursores da vitamina D produzidos por leveduras, plantas (ergosterol) e animais (7-deidrocolesterol) são convertidos na pele em vitamina D pela exposição à luz ultravioleta (290-315 nm). Ela poderia ser chamada pró-hormona, tendo em conta que o seu composto activo é uma hormona.

Os seus precursores, vitamina D3 (colecalciferol) e vitamina D2 (ergocalciferol), são por sua vez armazenados na gordura corporal. A vitamina D (tanto D2 como D3) é metabolizada no fígado, onde é convertida na 1,25-hidroxivitamina D. Posteriormente, nos rins, esse composto é convertido na 1,25-hidroxivitamina D. A 1,25-hidroxivitamina D (calcitriol) é considerada o composto da vitamina D com função biológica activa.

Quais as funções da vitamina D

A vitamina D é muito importante para o crescimento e o desenvolvimento normais desde criança, além de ser importante na formação de dentes e ossos, esta vitamina é responsável pela indução da formação de proteínas que transportam cálcio e fósforo. Para além disso, a vitamina D tem um papel essencial na manutenção dos níveis sanguíneos de cálcio e fósforo, possibilitando a mineralização óssea.

Entre as diversas funções da vitamina D, podemos destacar a sua capacidade de incrementar a eficiência intestinal de absorção de cálcio e de mobilizar o armazenamento de cálcio do osso para manter a concentração sanguínea de cálcio e fósforo dentro da faixa fisiológica de normalidade. Assim sendo, a síntese da vitamina D é directamente controlada pelos níveis de cálcio e fósforo contidos no sangue.

Para além disso, a vitamina D quimicamente activa tem ainda outras funções a destacar, tais como:

1. Estimular a absorção do cálcio.
2. Estimular o sistema de transporte de fosfato no intestino.
3. Mobilizar o cálcio e o fosfato do osso para manter adequados os níveis sanguíneos de cálcio e fósforo.
4. Aumentar a reabsorção renal de cálcio e fosfato.

Fontes de vitamina D alimentares:

Estima-se que uma pessoa adulta normal obtenha suficiente vitamina D através da exposição à luz do sol e da ingestão eventual de pequenas quantidades dessa vitamina nos alimentos, como peixe, leite e cereais enriquecidos com vitamina D.

Esta vitamina pode encontrar-se em quantidades variáveis na manteiga, nata, gema de ovo e fígado. Os alimentos considerados como melhores fontes dietéticas são as gorduras de peixes como o salmão, o óleo de fígado de bacalhau, e alimentos enriquecidos como o leite de vaca. Ela é muito estável e as preparações ou os alimentos que a contêm podem ser aquecidos ou armazenados, durante longos períodos, sem deterioração.

fontes de vitamina d

Quais os sintomas de deficiência da vitamina D

Os sintomas de carência da vitamina D incluem diversos problemas de saúde como o raquitismo em crianças, osteomalácia em adultos, fraqueza muscular, deformações no corpo, irritabilidade neuromuscular, que acaba muitas vezes por acarretar espasmos musculares, especialmente nas mãos, convulsões e tetania.

Raquitismo: a vitamina D é essencial na prevenção e no tratamento do raquitismo, que é uma doença relacionada com a malformação óssea devido à deficiência de fosfato de cálcio nos ossos, que se denomina como hidroxiapatia. Esta doença faz com que os ossos a não suportarem o stresse comum e os esforços aplicados regularmente sobre eles.

As pernas em arco, “peito de pombo” e uma elevação frontal do crânio são características muito comuns que são resultado da deficiência de vitamina D nas crianças. Sem o tratamento adequado, pode até resultar em morte devido ao enfraquecimento orgânico interno por colapso estrutural.

Há também um segundo tipo de raquitismo, designado como raquitismo hipofosfatémico, refractário à vitamina D. Esse tipo de raquitismo resulta de uma disfunção renal tubular. Pode ser considerado como um erro inato do metabolismo, o qual é determinado geneticamente.

Osteomalácia:  é uma espécie de “raquitismo” nas pessoas adultas. Os principais sinais são os ossos amolecidos, que acabam por provocar a deformação dos membros, coluna, tórax e pelve. Os sintomas resultantes deste problema de saúde são dores do tipo reumático e fraqueza generalizada. A osteomalácia é muitas vezes confundida com osteoporose, embora na realidade não se trate da mesma patologia e tenha formas de tratamento diferentes.

deficiência de vitamina D

Consequências do excesso de vitamina D

O consumo excessivo de vitamina D (acima de 5000-10000 UI/dia), é designado como hipervitaminose D. Tal como em tudo na vida, o que é demais é erro e o excesso desta vitamina pode provocar calcificações excessivas tanto nos ossos como nos tecidos moles (rins, pulmões e até tímpanos). Estas calcificações podem ajudar no desenvolvimento de cálculos renais e até surdez, dependendo do órgão afectado. No caso das crianças, o excesso de vitamina D pode acarretar transtornos gastrointestinais, fragilidade óssea, e até mesmo atraso mental e de crescimento.

Usos clínicos clínicos da vitamina D

É um fato que a vitamina D é muito útil para prevenir e tratar doenças ósseas. A vitamina D3 é uma vertente utilizada no tratamento de perturbações, como uma severa falência hepática, na qual a vitamina D não pode ser metabolizada.

A fórmula química activa da vitamina D e os seus análogos são usados no tratamento de problemas ósseos no metabolismo da vitamina D2, quer sejam congénitos quer adquiridos. Recentemente, foi comprovado que a vitamina D pode ser útil no tratamento da psoríase.

Estudos epidemiológicos recentes sugerem a existência de uma correlação entre o aumento da exposição à luz solar com o decréscimo do risco de cancro do cólon, cancro da mama e cancro da próstata. Até que ponto esse efeito protector é devido ao aumento da produção da vitamina D pela pele, permanece desconhecido.
A vitamina D3 é um potente agente que previne a proliferação de células normais e tumorais que possuem receptor para a vitamina D. Além disso é usado no tratamento da osteoporose, especialmente em pacientes que apresentam deficiência de cálcio.

Fonte: Désia Diego Quintaes
Nutricionista

Calcula-se que um adulto normal obtenha suficiente vitamina D através da exposição à luz solar e da ingestão eventual de pequenas quantidades dessa vitamina nos alimentos, como peixe, leite e cereais enriquecidos com vitamina D.

você pode gostar também

Este site utiliza cookies para melhorar a navegação. De acordo com as leis europeias ao navegar neste site concorda com a utilização de cookies. Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close