Reconhecer e combater a Ansiedade

Reconhecer e combater a Ansiedade
4.7 (93.85%) 13 votos

A ansiedade está presente no dia a dia de cada vez mais pessoas, ainda que por vezes não seja, à partida, reconhecida por quem é acometido.

É importante conhecer o problema, reconhecer os sintomas e procurar ajuda especializada para controlar e tratar a ansiedade.

Ansiedade: normal ou alarmante?

Mesmo as pessoas mais seguras de si, em determinados momentos da sua vida, sentem ansiedade, a ansiedade surge em todos nós! E na verdade a ansiedade pode ser bastante adaptativa dado que nos permite protegermo-nos!
O problema começa quando a ansiedade deixa de ser adaptativa, quando surge sem razão aparente, quando é desproporcional tendo em conta a realidade, quando passa a controlar a nossa vida ou nos priva de fazer coisas que em tempos nos deram prazer… ou seja, quando interfere negativamente na nossa qualidade de vida e nos causa sofrimento.

Ansiedade: uma máscara?

Os sintomas da ansiedade podem, em parte, ser compreendidos como experiências que não foram mentalizadas pela pessoa, isto é, experiências afectivas que não foram simbolicamente representadas. Busch e Sandberg (2014) explicam-nos que estes sintomas podem representar defesas contra a representação simbólica de um conflito psíquico existente.

Esta explicação leva-me a recordar um jovem adolescente de 15 anos que sofria bastante com sintomas de ansiedade. Estes sintomas surgiam, essencialmente, em dois contextos: em situações de avaliações e na relação com a sua mãe.

No decorrer do processo psicoterapêutico foi possível compreender que a sua mãe era extremamente ambivalente: se por um lado mantinha uma presença extrema na sua vida, de forma quase intrusiva, por outro lado era emocionalmente distante e extremamente desvalorizante.

Inconscientemente, o jovem sentia que não era gostado pela sua mãe e que, talvez através do sucesso académico ela o pudesse valorizar, o que colocava uma enorme pressão em si nos momentos de avaliação. Este jovem tinha uma grande dependência emocional da sua mãe, o que levava a que não conseguisse sequer pensar em ficar zangado com ela, quase como se tivesse medo que, ao zangar-se, a sua relação terminasse. A ansiedade que sentia surgia como uma defesa contra a expressão da sua zanga com a mãe…

Este foi apenas um exemplo ilustrativo da forma como os sintomas de ansiedade podem surgir como uma forma de mascarar aquilo que a pessoa, por diversos motivos, sente que não pode expressar de forma direta na sua realidade diária.

Como reconhecer os sintomas de Ansiedade…

A ansiedade pode ter diversas formas de expressão e os seus sintomas podem-se manifestar tanto ao nível psicológico como físico. Alguns exemplos desses sintomas são:

  • Sensação de que algo mau vai acontecer;
  • Sensação de nervosismo;
  • Irritabilidade;
  • Dificuldades ao nível do sono;
  • Dificuldades ao nível da concentração;
  • Preocupação exagerada quando comparada com a realidade;
  • Dificuldade em manter uma linha de pensamento coerente;
  • Tremores;
  • Falta de ar;
  • Respiração ofegante;
  • Náuseas;
  • Aumento das batidas cardíacas;
  • Dores abdominais;
  • Diarreia;
  • Tonturas;
  • Boca seca.

Como combater a ansiedade?

Quando os sintomas ganham o controlo sobre a sua vida deve, sem dúvida, procurar ajuda de um profissional.
Através da dinâmica relacional que vai sendo construída entre si e o psicólogo, este poderá apoiá-lo de forma a que consiga transformar, elaborar e integrar os sintomas que sente, isto é, dar-lhes um novo significado para que os possa expressar de forma mais adaptada.

Sabe-se, também, que as dificuldades ao nível da representação simbólica ou da compreensão cognitiva dos afectos poderão intensificar o sofrimento emocional e incrementar os sintomas de ansiedade que experienciamos. O psicólogo poderá ajudá-lo a compreender, identificar, verbalizar e representar determinados afectos que possam estar na génese da ansiedade sentida e assim ajudá-lo a regressar à tranquilidade.

A reter:

  • O equilíbrio é fundamental para o bem-estar emocional e, como tal, a ansiedade pode ser útil e adaptativa, no entanto, quando fora do controle, pode causar sofrimento e impactar a qualidade de vida da pessoa;
  • Existem diversos sintomas da ansiedade que se podem manifestar não só ao nível psicológico, mas também ao nível físico;
  • O psicólogo pode surgir como apoio para quem sofre de ansiedade ajudando-o a dar significado aos sintomas que sente, bem como a compreender e verbalizar os afectos que possam estar na base dessa ansiedade sentida.

Este artigo foi cedido por:

Psicóloga Andreia Ferreira, Fale Connosco – Saúde Personalizada

Fale Connosco – Saúde Personalizada: Acompanhamentos terapêuticos 100% personalizados na zona da Grande Lisboa em todas as faixas etárias nas especialidades de terapia da fala, psicologia e terapia ocupacional. Atuação também na área da formação e bem-estar, nomeadamente neurocoaching.

você pode gostar também

Este site utiliza cookies para melhorar a navegação. De acordo com as leis europeias ao navegar neste site concorda com a utilização de cookies. Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close